O SHOOTO


Fundado no fim da década de 80 por Satoru Sayana sob o nome de Japan Open, o Shooto foi o primeiro evento de Vale Tudo profissional realizado no Japão, reunindo nomes sagrados da modalidade. Uma das mais tradicionais competições de MMA do mundo, o Shooto já foi considerado o “Pride dos Leves” e revelou grandes nomes do Vale Tudo para o mundo.

DETENTORES DOS CINTURÕES


JHONATA SILVA

PESO PALHA

Jhonata Silva conquistou o cinturão dos peso-palha ao vencer Yan Teixeira no Shooto 74. O jovem de 21 anos apaixonou-se pelo MMA ao assistir pela TV a vitória de Lyoto Machida sobre Rashad Evans no UFC 98, em maio de 2009. Encontrou na Usina de Campeões, projeto social criado por Pedro Rizzo, o lugar ideal para dar início ao sonho de também ser um campeão. Hoje, Jhonata treina na Nova União.

LUAN “DANGER”

PESO MOSCA

Ao vencer por finalização Jafel Filho no Shooto 74, o carioca Luan “Danger”, da BPT – Beto Padilha Team, tornou-se o novo campeão dos moscas. Os dois atletas protagonizaram uma luta empolgante e muito técnica, mas Luan mostrou-se superior durante todo o combate e acabou conquistando a vitória no terceiro round com um mata-leão.

GERALDO DE FREITAS

GRAPHIC DESIGNER

O mineiro de Conselheiro Lafaiete, Geraldo “Espartano” de Freitas Jr., conquistou o cinturão dos galos ao vencer Luciano Benício por decisão unânime no Shooto 74, que marcou a estreia da Upper Arena, a nova casa do Shooto Brasil. Aos 25 anos, o atleta da Rio Fighters é considerado uma das grandes promessas para o MMA internacional.

PRISCILA SOUZA

PESO GALO

Priscila Souza manteve o cinturão até 61,2 kg ao vencer pela segunda vez a desafiante Luciana Pereira no Shooto Bope, realizado em outubro de 2015. As duas atletas tinham se enfrentado seis meses antes, no Shooto 53. Com um belo nocaute aos dois minutos do segundo round, a atleta da PRVT levou Luciana, da Nova União, à lona e garantiu a manutenção do título.

THIAGO “MANCHINHA”

PESO PENA

Thiago Manchinha conquistou o cinturão do peso-pena ao vencer Filipe Jesus no Shooto 73. O título pertencia até então a Felipe Froes, que deixou o cinturão vago ao assinar contrato com um evento russo. Era a segunda vez que Manchinha lutava para ser campeão do Shooto Brasil. Na primeira, em 2015, foi derrotado. Desta vez, entrou no cage ainda mais determinado e logo no primeiro round finalizou o adversário com um mata-leão.

RONYS TORRES

PESO LEVE

Ronys Torres manteve o cinturão do peso-leve ao derrotar o desafiante Wallace Lopes no Shooto 60. Especialista em jiu-jitsu, o atleta da Nova União e ex-UFC conseguiu levar a luta para o chão logo no primeiro round e finalizou o adversário com uma finalização perfeita por americana. Aos 31 anos, Ronys Torres tem um cartel de 35 vitórias e apenas cinco derrotas.

CARLÃO SILVA

PESO SUPER-LEVE

Ao derrotar o paulista Felipe Douglas por nocaute no Shooto 78, Carlão Silva tornou-se o primeiro campeão da divisão dos super-leves, recentemente incorporada à competição. Natural do Rio Grande do Norte, Carlão agora possui um cartel de 11 vitórias e apenas uma derrota.

HERNANI PERPÉTUO

PESO MEIO-MÉDIO

O ex-UFC Hernani Perpétuo sagrou-se campeão mundial dos meio-médios do Shooto ao derrotar o belga Tommy Depret. A luta eletrizante aconteceu durante o tradicional Shooto BOPE. Mesmo diante de um oponente duro, o atleta da Nova União manteve-se superior durante os três rounds e garantiu a vitória por decisão unânime dos árbitros.

ISMAEL MARMOTA

PESO MEIO-MÉDIO

O goiano Ismael Marmota manteve o cinturão meio-médio vencendo o paraense Michel Demolidor por decisão unânime na 67ª edição do Shooto Brasil. Desde o primeiro round, Demolidor tentou abafar os golpes de Marmota com uma luta agarrada, mas a partir do segundo round o atleta da Nova União encontrou distância e se impôs, chegando a conseguir um knockdown. A luta foi considerada a mais disputada do evento.

ISMAEL MARMOTA

PESO SUPER MEIO-MÉDIO

O paranaense Alessandro Macedo, da equipe Rio Fighters, conquistou o cinturão dos super-médios ao nocautear Renato King na luta principal do Shooto 77, realizado no Ginásio do Sindilegis, em Brasília (DF). Em sua cidade, Foz do Iguaçu, o campeão é conhecido pelo apelido de Pamonha. Ele explica: “Minha mãe tem uma loja de pamonha em Foz de Iguaçu e eu vendia os produtos na rua para ela, por isso o apelido”, diverte-se. Hoje, Alessandro vive no Rio de Janeiro e se dedica integralmente ao esporte.

CARLOS "ÍNDIO"

PESO MÉDIO

Em uma decisão dividida dos juízes, Carlos Índio (Dragon Fight/ Nova União) derrotou Gustavo Besouro (RFT) e tornou-se o campeão sul-americano meio-médio do Shooto. Foi o segundo cinturão de Índio, que em 2011 já havia conquistado o título da categoria peso-médio (até 84kg). Aos 38 anos, o veterano acumula 33 vitórias e 12 derrotas.

CARLOS "CACHORRÃO"

PESO MEIO-MÉDIO

Carlos Eduardo Cachorrão (Dragon Fight /Nova União) conquistou o cinturão meio-pesado ao vencer o pernambucano Willyanedson Paiva no Shooto 62. Faixa preta de jiu-jitsu, logo no primeiro round Cachorrão conseguiu levar a luta para o chão e finalizar seu adversário com um armlock. Aos 35 anos, o veterano e ex-Bellator conta com 16 vitórias e quatro derrotas.

CAIA ALENCAR

PESO-PESADO

Caio Alencar, o “Caião”, conquistou o cinturão peso-pesado ao vencer Rodrigo “Dragão” Guelke no Shooto 52. Após três rounds de muita trocação, o atleta da Kimura Nova União conseguiu tornar-se campeão da categoria por decisão unânime dos juízes. Foi sua primeira vitória por pontos: antes disso, havia vencido sete vezes, sendo quatro por finalização e três por nocaute.

O SHOOTO É O EVENTO BRASILEIRO QUE MAIS REVELA ATLETAS PARA O MMA MUNDIAL. JÁ PASSOU POR SALVADOR, BRASÍLIA, BELÉM, MANAUS E RIO DE JANEIRO.

PATROCÍNIOS